quarta-feira, 2 de novembro de 2016

Eduardo Cunha cita Temer e Lula como testemunhas de defesa

                                                  (FOTO: AGENCIA BRASIL)
No documento, a defesa pede a absolvição de Cunha e a rejeição das denúncias contra ele apresentadas. O documento foi protocolado ontem (1º) à noite na Justiça Federal, no Paraná.  A assessoria de Temer informou que não comentará o fato. Também foram arroladas como testemunhas o ex-ministro Henrique Alves, o pecuarista José Carlos Bumlai, o ex-diretor da Petrobrás, Nestor Cerveró, e o ex-senador Delcídio do Amaral, dentre outros nomes. Foram incluídas 22 testemunhas no processo. Segundo a defesa argumentou, "o número de testemunhas se justifica pelo número de fatos imputados ao defendente". Evidências de contas no exterior ainda não identificadas Cunha está preso na superintendência da Polícia Federal, em Curitiba, desde o dia 19 de outubro. Segundo a força-tarefa do Ministério Público Federal, "há evidências" de que existem contas pertencentes a Cunha no exterior que ainda não foram identificadas, fato que, segundo os procuradores, coloca em risco as investigações. Além disso, os procuradores ressaltaram que Cunha tem dupla nacionalidade (brasileira e italiana) e poderia fugir do país. (FONTE: PORTAL TERRA COM INFORMAÇÕES DA AGÊNCIA BRASIL)

Nenhum comentário:

Postar um comentário